10 Dicas Para Comportamento Problemático

Em um momento ou outro, cada proprietário tem que lidar com o comportamento problemático. Compreender por que o seu cão faz o que ele faz e como lidar corretamente com a situação pode ajudar a resolver problemas rapidamente.

Aqui estão algumas dicas básicas que se aplicam a quase todos os “cães problemáticos”:

Controle o cão e você controla a situação.

Para muitos cães, seu equipamento de treinamento significa trabalho, não tempo de brincar, e isso pode ajudar em uma situação problemática.

Um cão que está sendo guiado não pode fugir ou perseguir pessoas ou outros animais, e seu dono tem a chance de ajudá-lo a entender o que ele deveria fazer.

Use as ferramentas corretas, assim você só terá a ganhar em controle e educação do seu cão.

Seja positivo.

Em vez de dizer “NÃO”, tente dar ao seu cão algo positivo que ele pode fazer por você, como “Sentar” ou “Deitar”. Esta abordagem positiva significa que você pode elogia-lo generosamente por suas boas ações, em vez de simplesmente gritar com ele. Por exemplo, um cachorro que pula nas pessoas pode ser informado a se sentar, e quando feito, ao invés da clássica bronca, você o elogia, isso é tornar as coisas positivas.

Permita que seu cão seja um cão.

Muitas vezes, o que os proprietários consideram o comportamento problemático é simplesmente um comportamento normal do cão, que eles acham desagradável ou irritante.

Por exemplo, cavar é uma atividade canina natural, mas angustiante para um proprietário orgulhoso do seu jardim. Em vez de repreender o que vem naturalmente, pode ser mais gentil separar uma área para seu cão, na qual você tenha enterrado pequenos deleites para torná-lo mais atraente do que o resto do quintal e com isso, elogia-lo por cavar no “seu” jardim.

Sempre que os comportamentos naturais entrem em conflito com o que você possa gostar, seja criativo e veja se você pode encontrar uma saída para os interesses e atividades adequados para você.

Afinal é o homem o animal mais inteligente, não é? Basta ser criativo também!

Exercício, exercício, exercício!

A causa mais comum de comportamento problemático é o tédio e a falta de exercício suficiente.

Enquanto você trabalha ou sai, seu cachorro tem pouco ou nada para fazer, e sua necessidade de exercitar-se não vai desaparecer.

Um quintal ou casa familiar é chato, e poucos cães exercitam-se sozinhos sem interação com seus donos.

Aproveite o tempo para brincar com seu cão, correr com ele, andar, nadar ou dar um longo passeio, fazer esportes (abaixo eu e Jovita, treinando agility). Um cachorro cansado é sempre um cão bem comportado!

Seja Consistente!

É injusto que o cão mude suas regras de acordo com o que você está vestindo, quem está visitando ou o tipo de dia que você teve.

Se a seu cão é permitido ficar no sofá, ele ficará confuso quando você gritar com ele porque a tia Mariquinha está visitando e ela não acha que os cachorros devem se sentar em sofás!

Se ele tem permissão para pular em você, quando estiver usando jeans e uma camiseta, não se surpreenda se ele não sabe a diferença entre o seu melhor vestido de noite. Quaisquer que sejam suas regras, mantenha-as consistentes.

Peça ao seu cão algo, antes de dar o que ele quer.

Do ponto de vista do cão, um dono que pode ser “treinado” não é aquele que merece muito respeito. Há cães que tomam a liderança na casa, por falta de respeito ao humano.

Ensine-o a ser educado, essa é uma tarefa SUA que não deve ser passada para um adestrador.

Ensine seu cão a dizer “por favor” sentando-se, deitando ou seguindo algum outro comando antes que ele consiga o que ele quer.

Exemplo: antes de colocar a vasilha de comida no local onde ele se alimenta, deixe que ele sente-se primeiro.. É muito fácil, ser o líder da matilha, que seu cão quer que você seja!

Seja claro!

Os donos costumam confundir cachorros, mudando as palavras ou comandos, repetindo-os o tempo todo, sem mostrar ao cão o que querem dizer, e pior de tudo, assumindo que o cão entende.

Rapaz, saiba que ele não entende nada do que você diz. É como se você conversasse com um japonês, sem dominar a língua. As expressões ou a linguagem corporal, vão ser melhores nesse caso.

Em caso de dúvida, mostre com cuidado a seu cão exatamente o que você quer dizer, dando o comando ao mesmo tempo para que ele possa associar os dois.

Use comandos claros, de fato, quando se dirige ao seu cão, e certifique-se de que seu tom de voz esteja entusiasmado.

Lembre-se de que enquanto usamos palavras para nos comunicar, os cães são mestres da leitura da linguagem corporal.

Se a sua linguagem corporal diz ao cão uma coisa, mas sua voz diz ao cão outra coisa, é provável que ele acredite em sua linguagem corporal.

É por isso que as pessoas que se dobram em direção ao cachorro e agitam seus dedos enquanto repreendem “Não, não, não”, muitas vezes recebem uma lambida ou uma pose de brincalhão.

Forneça estimulação mental

As sugestões do Dr. Roger Abrantes  sobre o uso de 1/3 da dieta do seu cão para os guloseimas a serem obtidos durante o treinamento, 1/3 para ser administrado como de costume em uma tigela de comida e 1/3 para ser “caçado”,  são válidas, ótimas.

No último caso, existem vários brinquedos que vão deixar seu cão entretido por várias horas (Alguns exemplos).. Até um border collie, consegue se entreter nesse caso. Se você não achar, também pode confeccionar esse tipo de brinquedo para seu cão com garrafas pets.

Compreenda o patrimônio genético do seu cão.

Se você possui um Doberman ou um Beagle, um Samoieda ou um Westie, é importante entender para que seu cão foi criado.

Os proprietários muitas vezes esquecem que o comportamento que leva um cachorro a correr ou a ficar próximo, caçar ou proteger, perseguir ou pastorear, trabalhar com pessoas ou trabalhar de forma independente são o resultado de gerações de traços cuidadosamente selecionados.

Pesquise a história da sua raça e fale com pessoas que entendem as características da sua raça. Você pode achar que as tendências de seu cão, enquanto irritantes ou divertidas, são precisamente o que o torna o que ele é.

Você pode então decidir a melhor forma de trabalhar com os instintos do seu cão e onde você precisa concentrar os esforços de treinamento.

Ah, mas eu tenho um vira-latas, como eu faço? Bem, ai você não terá as características tão mastigadas, quanto a de um cão de raça (o padrão de cada raça, vai te dar o parâmetro e a função exercida por ela). Você terá que descobrir as características de seu cão, observando, ou se tiver acesso a seus pais e eles tiverem alguma raça. Se você achar que não está conseguindo, a ajuda de um comportamentalista ou um cinófilo pode ser de grande ajuda.

Treine seu cão.

Todo cão deve ter educação básica, para mim, isso devia ser lei, como em alguns países.

Os cães não nascem sabendo como se comportar.

Aproveite o seu tempo livre para treinar seu cão de forma consistente usando métodos gentis e positivos. Encontre uma escola perto de você, cujos métodos e filosofias você goste.

Se confrontado com um problema de comportamento que você não pode resolver, peça às pessoas que você confia uma recomendação de um treinador experiente e obtenha ajuda profissional rapidamente.

Quanto mais cedo você começar a trabalhar em um problema, mais cedo você o resolverá.

Bem, se eu estou te dando essas dicas é porque aqui em casa eu as faço. E meus cães são sempre elogiados pela sua educação e comportamento.

Mas eu já tive cães problemáticos e foi dessa forma, acima, que eles melhoraram o seus comportamentos.

Você pode até dizer que para mim é bem fácil, pelo meu currículo.

Mas saiba que mesmo antes de ser uma profissional, quando eu tinha uns 9 anos, eu já praticava isso tudo. Só fui me aperfeiçoando e para me aperfeiçoar, além dos cursos, livros eu simplesmente PRATICAVA!!

Então, é possível para você também!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *